BUSCAR

11 de setembro de 2019

Delegado da Polícia Federal diz que operação contra filho de Lobão foi “uma aula de lavagem de dinheiro”

Delegado da Polícia Federal Luciano Flores
Delegado da Polícia Federal Luciano Flores
O delegado Luciano Flores, superintende regional da Polícia Federal no Paraná, disse que a 65ª fase da Lava Jato “é uma aula de lavagem de dinheiro”.
A operação teve como alvo Márcio Lobão, filho do ex-senador e ex-ministro Edison Lobão. Ele teve decretado prisão preventiva por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro proveniente de pagamento de vantagens indevidas relacionadas à Transpetro, que é subsidiária da Petrobras, e à Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará.
Segundo os procuradores Ministério Público Federal, o filho de Lobão usou outras formas para lavar dinheiro, como transações imobiliárias, empréstimo, offshores no exterior e depósito em espécie.
“Depósitos fracionados em espécie foram feito nas contas de Márcio Lobão e esposa: mais de R$ 2 milhões por meio de 104 depósitos”, disse o procurador Roberson Pozzobon. Um deles, de acordo com o Pozzobon, foi de R$ 998 mil.
Também foram identificados saques no valor de R$ 49.990 semanas após uma nova regra do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) entrar em vigor que determinava que saques de R$ 50 mil ou mais deveriam ser comunicados ao órgão.
(Com informações da Globo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário