BUSCAR

23 de julho de 2019

VIDEO: DRAMA dos moradores do KM 17 sem água boa pra beber continua

O KM 17 está entre os dois povoados mais populosos da zona rural de Codó, onde vivem mais de 5 mil pessoas e há décadas estes moradores enfrentam a  falta de água potável.
O problema do KM 17 não é  falta de água nas torneiras,   tem água à vontade,  em abundância onde a gente chega. O  problema é que esta água, segundo os moradores, não serve para beber.
Reclamação tem demais.
“Meu irmão, aí não presta é pra nada, nem pra beber porque se o carro é quem vem deixar pra nós porque a daqui não presta (…) aqui só vai no sabão líquido, porque não presta nem pra arear vasilha..E QUE ÁGUA É ESSA?  fica toda gordurosa, não sei…E NINGUÉM CONSEGUE EXPLICAR? Ninguém consegue explicar”, respondeu a lavradora Maria de Jesus
DOENÇAS RENAIS
Dona Maria Betânia Santos, recém chegada ao povoado, desavisada do perigo começou a tomar a água.
“Foi preciso largar de beber…O QUE A SENHORA SENTIU? Muita dor nos rins, muita, muita”, revelou
Os relatos estão por todo o povoado, a netinha de dona Lúcia Farias  não pode nem pensar em consumir a água que desce destas torneiras.
 “Ela é uma água que nem pra lavar roupa ela não é boa, é corta muito o sabão, imagine pra beber…SE BEBER QUAIS SÃO AS RECLAMAÇÕES QUE SEMPRE APARECEM? Rins, eu tenho uma netinha que só bebe água mineral porque não pode tocar nesta água (…) pra quem é pobre e não tem, tem que ter água mineral diretamente pras crianças?“, questiona
A prefeitura gastou mais de R$ 400 mil na abertura deste poço fora da área do KM 17 tentando fugir da salinidade da região. Em setembro de 2018 o poço foi inaugurado, funcionou poucos dias e, depois,  passou a não atender sequer metade do povoado, até ser desativado de vez.
Desde então, se o carro-pipa da FC Oliveira, que passa duas vezes por semana, falhar, todos ficam sem ter o que beber. É esta a razão de tantos baldes à espera de uma solução que só alivia o sofrimento de tantas famílias.
 “O bom  mesmo seria se tivesse a água encanada, aí seria melhor. A água daqui não presta…O IDEAL SERIA NA TORNEIRA? Na torneira, com certeza”, reclamou Anailza Mesquita
PALAVRA DO SAAE
Nós pedimos uma nota do SAAE que assim se manifestou por meio de sua assessoria de imprensa:
“O poço do quilômetro 12, que foi projetado para auxiliar no abastecimento de água do Distrito Km 17, passou por todas as fases de implantação e testes químicos para comprovar os parâmetros da água dentro dos exigidos pelo Ministério da Saúde. Porém, após intenso inverno a água passou a apresentar alto teor de ferro, que é prejudicial a saúde. Por esse motivo o PT 04 foi colocado fora de operação”
Perguntei: E agora, vai ficar apenas nisso?
Resposta: Temos projeto de dessalinização da água do poço do distrito km 17. Em andamento. A água que está sendo distribuída aos usuários do Km 17, apesar da dureza maior do que a da sede do município, está dentro dos parâmetros aceitáveis pelo Ministério da Saúde. Por esse motivo ainda está sendo fornecida para consumo.
Já a água do Poço Tubular-04 (Km 12), que foi projetado para auxiliar no abastecimento do distrito Km 17, após rigoroso inverno, apresentou teor de ferro acima dos parâmetros tolerados e por isso foi desativado.
Existe projeto em andamento para dessalinização da água fornecida aos moradores do distrito Km 17

Fonte: blog do Acélio

Nenhum comentário:

Postar um comentário