BUSCAR

2 de outubro de 2019

Moradores da Trizidela não aguentam mais, tanta catinga de esgoto que vem da galeria do Parque Ambiental de Codó

Com a construção do Parque Ambiental, pelo governo do Estado,  todos quintais da  rua Padre Joaquim Dourado, na Trizidela, ganharam uma  galeria. No período chuvoso, ela enche e joga água para o fundo das casas, na estiagem joga esgoto.
 “Agora em novembro vai fazer um ano que nós estamos com essa água toda na porta, podre desse jeito, podre e aí ninguém se manifesta, ninguém da prefeitura ninguém de lugar nenhum”, disse a dona de casa Maria Ediene Sousa
 Os moradores nos explicaram que a água  que não consegue escoar na canalização feita pela obra estadual, encontra os canos dos quintais, retorna e acumula. Neste momento apodrece com os dejetos que possui e o mau cheiro passa a incomodar.
No quintal de seu Cícero Pereira da Silva um exemplo. A água da galeria, que foi construída mais alta que os quintais,  encontra o cano e faz o caminho inverso.
 “Ela volta é pra dentro do esgoto, ela sai e volta pra dentro…E QUANDO ACUMULA? O mal cheiro, como taí (…) o apelo que eu faço é que eles fizesse pelo menos a descida dessa água pra largar essa catinga, é só isso”, disse o aposentado
Há acúmulo de esgoto entre as casas e até na porta, Dona Vanda dos Santos diz que já denunciou o caso até pra Vigilância Sanitária da Prefeitura de Codó, uma equipe apareceu em julho deste ano e nunca mais voltou.
 “O problema é a galeria que eles fizeram que não fizeram direito é alta (…) pra que eles tivessem compaixão da gente e viesse tirar isso aqui, por conta disso aqui eu já adoeci, já peguei depressão, já to melhor agora, já fui pro neurologista, fiquei perturbada com isso aqui (…) sem contar o fundo dos quintais que enchem d’água, a água vem ficar na porta da cozinha”
No  beco da casa de seu Cícero Camelo da Silva também tem esgoto empossado, reclama do mal cheio que o incomoda principalmente na hora das refeições diárias. Ele fez um apelo às autoridades locais e estaduais.
 “Que ele mandasse fazer aqui um serviço pra nós, ter dó de nós aqui, somos cristãos, limpar, doença podridão desse, mosquito dengue tudo enquanto,uma doença aí nas crianças, na gente, eu achava bom o prefeito mandar ajeitar, socorrer nós porque nós estamos numa condição ruim aqui”, disse
 “Mais tarde tá cheio de urubu, aqui fica cheio de bicho, podridão, enfim, tudo e aí prefeitura nunca se manifestou de jeito nenhum”, concluiu dona Maria Edilene Sousa
PEDIMOS NOTA AO GOVERNO DO ESTADO A RESPEITO QUE ASSIM SE MANIFESTOU
Fonte: Caema
01/10/19
 A Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) esclarece não opera no município de Codó. O abastecimento de água e coleta de esgoto é feito pela prefeitura por meio do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE). Informa, ainda, que não há nenhuma participação da Caema na obra em questão.

Fonte blog do Acélio

Nenhum comentário:

Postar um comentário