BUSCAR

14 de janeiro de 2020

Fortaleza é o primeiro time brasileiro a ser procurado por bilionário russo, dono de clube grego


O investidor e bilionário russo Ivan Savvidis entrou em contato com o Fortaleza nesta sexta-feira. A Gazeta Esportiva apurou que a procura foi realizada por meio de um representante do executivo, que também trabalha para o PAOK. O clube grego é de propriedade do russo desde 2013.
Dessa forma, o Fortaleza larga na frente dentre os candidatos a receber o investimento de Savvidis, que tem interesse em adquirir um clube no Brasil ou formar uma parceria.
Esse primeiro contato foi apenas para apresentação e tornar o desejo de Savvidis em algo factível aos olhos do Tricolor.
Em breve, as partes devem agendar um encontro para iniciar as conversas.
A reportagem entrou em contato com o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, que confirmou a procura do intermediário de Savvidis.
O mandatário garante estar totalmente aberto a ouvir a proposta do russo.
Na quinta-feira, a Gazeta Esportiva revelou a intenção de Ivan Savvidis em encontrar um clube brasileiro que possa receber seu investimento.
Além do Fortaleza, o Paraná Clube também está sob analise do staff do investidor russo e é outro clube que deve ser procurado em caráter oficial em breve.

Quem é Ivan Savvidis?

Ivan Savvidis, 60 anos, é dono do PAOK, um dos times mais ricos do futebol grego. Polêmico, o dirigente chegou ao comando do clube em 2013, depois que uma de suas empresas comprou as ações da equipe. A sua chegada mudou completamente o patamar da agremiação, que vivia em dívidas até os anos anteriores.
Savvidis é russo, mas tem pais gregos, e é um bilionário dono de empresas ligadas ao tabaco e ao comércio de carne e produtos agrícolas na Rússia, além de um grupo de comunicação na Grécia. Fora a presença no campo empresarial e no futebol, o dono do PAOK tem um passado na política.
Em 2003, Savvidis foi eleito deputado no parlamento russo e, no ambiente político, tornou-se próximo de Vladimir Putin, presidente do país. Anteriormente, ele ainda construiu carreira no exército da Rússia e chegou a atingir a patente de Major.
Em 2018, Ivan Savvidis foi protagonista de uma das cenas mais polêmicas do futebol grego. Depois do PAOK ter um gol anulado aos 45 minutos do segundo tempo, contra o AEK (que liderava o liga nacional), o dono do clube invadiu o gramado portando uma arma de fogo na cintura.
Depois do caso, o Campeonato Grego ficou paralisado por duas semanas, enquanto Savvidis e o PAOK receberam uma dura punição. O dirigente levou três anos de suspensão das atividades esportivas, enquanto o clube perdeu três pontos na competição, se distanciando na corrida pelo título. Com informações da espn

Nenhum comentário:

Postar um comentário