BUSCAR

20 de maio de 2020

Farmacistas do Maranhão querem se mobilizar contra veto do governador Flávio Dino

Caso seja mantida a decisão do governador centenas de estabelecimentos farmacêuticos em todo o estado irão fechar as portas em definitivo (Da redação Repasse Informativo)

Em virtude das dificuldades econômicas enfrentadas pelo país, principalmente em tempos de pandemia o veto ao Projeto de Lei de13.021/2014, encaminhado pelo AL através do Deputado Rafael Leitoa , ( PDT ) que previa mudanças no funcionamento dos plantões das farmácias no estado deixou os pequenos farmacistas em polvorosa.

Os profissionais organizados pretendem promover mobilização para sensibilizar os governos federal e estadual para analisar com mais atenção esta causa.

De acordo com o projeto, as exigências promovidas pelas instituições superiores deste segmento seriam abrandadas com as mudanças pretensas pelo projeto.

A Associação dos Farmacistas de Timon (Asfat) informou que os pequenos estabelecimentos não podem bancar financeiramente um farmacêutico 24 dentro de uma pequena farmácia no caso dos pequenos e médios.

É alegado que a carga tributária e outros encargos superam as expectativas de lucro, pois, na maioria das vezes, os próprios donos trabalham nos seus estabelecimentos por não poderem pagar mão de obra, ficando uma margem pequena de lucro para pagar dois ou mais Farmacêuticos.

Para os milhares de farmacistas do Maranhão o Governo estadual está prejudicando os médios e pequenos farmacistas, os quais já vem há muito tempo nesta luta em favor da comunidade.

Segundo declarações do Presidente da ASFAT, Sobrinho Soares , (foto) “logo que passar este período de pandemia, COVIG-19 “vamos percorrer o Maranhão para conversar com Senadores, Deputados Federais, estadual, Prefeitos e vereadores para que os mesmo se engajem nesta luta para a quebra deste veto por parte do Governador”.

Sobrinho diz ainda que “acho que o nosso Governador não está vendo o que nós estamos passando. As farmácias estão com faturamento baixo não têm condição de pagar dois ou três farmacêuticos dentro da farmácia.

EXEMPLOS

Vou dar um exemplo uma farmácia de uma cidade, pequena que não tem um só farmacêutico residindo na mesma cidade, como vai funcionar?

“A lei da liberdade econômica permite que o comerciante trabalhe em qualquer horário. a justificativa do projeto se fala que está sendo adotado o regime de plantão com base em lei de 1973 .

Outro exemplo uma farmácia de médio poste que tem um farmacêutico e funciona ate a noite e este projeto aprovado será um golpe mortal em um dos maiores patrimônios legais dos farmacêuticos e da saúde pública brasileira.

A Lei nº 13.021/2014. diz que PL ainda ressuscita a proposta do farmacêutico remoto, o que reduzirá drasticamente a empregabilidade, as relações de trabalho e comprometerá a qualidade da assistência farmacêutica à população em geral.

do Repasse Informativo

Nenhum comentário:

Postar um comentário