BUSCAR

21 de maio de 2020

Governo do Maranhão confirma falta de transparência ao Jornal Nacional

Uma das principais críticas que vêm sendo feitas ao Governo do Maranhão durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a falta de transparência na divulgação dos dados oficiais foi escancarada na noite de ontem (20) pelo Jornal Nacional.

Numa reportagem sobre supostos efeitos positivos do lockdown, que já estariam sendo sentidos na redução da ocupação de leitos e na contagem de novos casos na Região Metropolitana de São Luís, o JN foi taxativo: a informação baseia-se unicamente em declaração da Secretaria de Estado da Saúde (SES), que não apresentou qualquer número sobre isso.

“A Secretaria de Saúde não divulgou números, mas declarou que houve redução também na procura por atendimento nas unidades de emergência da capital e na evolução dos novos casos. Segundo o levantamento, antes do lockdown, o número de infectados na região de São Luís vinha dobrando a cada cinco dias. Agora, esse número passou a dobrar a cada dez dias”, diz o texto da matéria.

A SES não mostrou, mas o Blog do Gilberto Léda mostra que a informação não condiz com o que a própria pasta divulga em seus boletins epidemiológicos.

Na Região Metropolitana de São Luís, até o final de terça-feira (19), havia 209 leitos de UTI ocupados – são 225 no total. Um dia depois, esse número era de 211. Ocupação de 93,78% dos leitos.

Nos leitos clínicos, observou-se curva ascendente quase na mesma proporção.

Dos 752 disponíveis, 578 estavam ocupados há dois dias. Ontem, o número saltou a 589 – taxa de ocupação de 78,32%, ante 76,86% do dia anterior.

Então, embora a secretaria tenha declarado, segundo o Jornal Nacional, que houve redução da ocupação de leitos

Os números de novos também contradizem a SES. Na segunda-feira, primeiro dia pós-lockdown, foram registrados quase 300 novos casos apenas nos quatro municípios da Ilha. Durante o bloqueio, houve vários dias com menos casos que esse.

Como já demonstramos antes, no entanto, enquanto o Estado não testar a população em larga escala, dados sobre novos casos serão usados apenas para a propaganda do governo (leia mais).

Nenhum comentário:

Postar um comentário