BUSCAR

22 de maio de 2020

Lula disse à Difusora que só será candidato para enfrentar Moro ou Huck, para não deixar a Globo governar o país

O ex-presidente Lula cogitou que pode novamente disputar as eleições, apesar da Lei da Ficha Limpa o tornar inelegível hoje por conta da condenação em 2º grau no caso do triplex do Guarujá. Segundo Lula, ele seria novamente candidato caso o ex-juiz e ex-ministro Sérgio Moro e o apresentador Luciano Huck fossem candidatos.

“Se o Moro for candidato, se o Huck for candidato, candidatos da Globo, se eu tiver com saúde pode ficar certo e eu ver que tenho chance de ganhar as eleições deles, fique tranquilo que eu não deixarei a Globo governar esse país”, disse Lula em entrevista ao programa Ponto e Vírgula da rádio Difusora nesta quinta-feira (21).

Em caso de não concorrer, Lula citou outros possíveis candidatos, entre os quais o ex-ministro Fernando Haddad (PT) e o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). “Eu não preciso ser candidato outra vez, vou estar com 77 anos de idade, apesar de achar que estou jovem e vou viver até os 120 anos. O PT tem muita gente boa, tem o companheiro Haddad. O PCdoB tem o Flávio Dino. Eu quero ser cabo eleitoral”.

Questionado sobre a unidade do campo de oposição ao presidente Bolsonaro, Lula declarou que não se alia com o ex-governador Ciro Gomes e a ex-senadora Marina Silva.

“Juntar todo mundo pra que? A Marina escolheu outro caminho. Que Deus a abençoe. O Ciro decidiu que quer o voto de quem odeia o PT. Que vá com Deus. Se for possível construir um projeto pra reconquistar a democracia, tamo junto. Mas na eleição cada partido político tenha seu candidato no primeiro tuno e no segundo se junta.Cada um vai tocar seu projeto”, disparou.

Aliado da família Sarney em duas eleições no Maranhão contra Flávio Dino, Lula não esqueceu de elogiar o ex-senador José Sarney. “O Sarney foi um companheiro da mais alta qualidade, da mais alta lealdade”, enalteceu.

Instado a fazer algum tipo de mea-cula, Lula admitiu forçadamente que houve corrupção, porém demonstrou irritação com o tema e ainda afirmou que regularia os meios de comunicação no Brasil.

“Se eu mesmo tiver que fazer crítica a mim, pra que oposição. Eles que façam crítica, pô. Hoje eu tenho uma autocrítica muito forte, eu deveria ter regulamentado os meios de comunicação desse país”, disse.

De John Cutrm

Nenhum comentário:

Postar um comentário