BUSCAR

31 de maio de 2020

Ministério Público entra com ação na Justiça para suspender decreto da prefeitura de Codó que autoriza reabertura do comércio

Juiz dar prazo de 72h para o município se explicar da medida diante da pandemia

A ação civil pública do Ministério Público sobre a decisão da prefeitura de Codó, de reabrir o comércio não essencial, a partir dessa segunda-feira (01/06), é pela suspensão do Decreto n° 4.235/2020 que autoriza o funcionamento do comércio no município.

Mas antes de decidir sobre o pedido do ministério público, o juiz platonista deste domingo (31), deu prazo de 72h para que a Prefeitura se manifeste em juízo sobre a ação da Promotoria de Justiça para que o juiz possa tomar a decisão.

Em novo decreto publicado agora a tarde pelo prefeito Francisco Nagib, ele informa que a reavaliação do quadro epidemiológico referente ao avanço da contaminação por Coronavirus, com a finalidade de instruir a decisão da justiça.

No parágrafo único do Artigo 1°, a prefeitura especifica como será produzido o relatório que servirá de base para a decisão judicial. No decerto publicado hoje, o município pede à população que dê preferência pelas compras por delivery, o que reforçará o texto do Decreto de 27 de maio que defende a necessidade de reabertura do comércio em geral.

CONFIRA A ÍNTEGRA DO DECRETO DESTE DOMINGO.:

O decreto deste domingo não suspende o decreto anterior que libera o comércio para reabrir amanhã. O comércio fica aberto a partir de amanhã até que a justiça decida pela manutenção do decreto n° 4.235/2020 ou pela suspensão. 

Por: Correio Codoense

Nenhum comentário:

Postar um comentário